Momentos de palavras dispensadas.

Dois amigos cultivavam o mesmo campo de trigo, trabalhando arduamente a terra com amor e dedicação, numa luta estafante, às vezes inglória, à espera de um resultado compensador.
Passam-se anos de pouco ou nenhum retorno.
Até que um dia, chegou a grande colheita.
Perfeita, abundante, magnífica, satisfazendo os dois agricultores que a repartiram igualmente, eufóricos.
Cada um seguiu o seu rumo. À noite, já no leito, cansado da brava lida daqueles últimos dias, um deles pensou : “Eu sou casado, tenho filhos fortes e bons, uma companheira fiel e cúmplice.
Eles me ajudarão no fim da minha vida.
O meu amigo é sozinho, não se casou, nunca terá um braço forte a apoiá-lo.
Com certeza, vai precisar muito mais do dinheiro da colheita do que eu”.
Levantou-se silencioso para não acordar ninguém, colocou metade dos sacos de trigo recolhidos na carroça e saiu.
Ao mesmo tempo, em sua casa, o outro não conciliava o sono, questionando : “Para que preciso de tanto dinheiro se não tenho ninguém para sustentar, já estou idoso para ter filhos e não penso mais em me casar.
As minhas necessidades são muito menores do que as do meu sócio, com uma família numerosa para manter”.
Não teve dúvidas, pulou da cama, encheu a sua carroça com a metade do produto da boa terra e saiu pela madrugada fria, dirigindo-se à casa do outro.
O entusiasmo era tanto que não dava para esperar o amanhecer.
Na estrada escura e nebulosa daquela noite de inverno, os dois amigos encontraram-se frente a frente.
Olharam-se espantados.
Mas não foram necessárias as palavras para que entendessem a mútua intenção.

O oásis da fé

Assim que chegou a Marrakesh, o missionário resolveu que passearia todas as Manhãs pelo deserto que ficava nos limites da cidade. Na sua primeira Caminhada, notou um homem deitado nas areias, com a mão acariciando o solo, E o ouvido colado na terra.

“É um louco”, disse para si mesmo.

Mas a cena se repetiu todos os dias e, passado um mês, intrigado por aquele comportamento estranho, ele resolveu dirigir-se ao estranho. Com muita dificuldade, já que ainda não falava árabe fluentemente, ajoelhou-se a o seu lado.

—  O que você está fazendo?

—  Faço companhia ao deserto e o consolo por sua solidão e suas lágrimas.

—  Não sabia que o deserto era capaz de chorar.

—  Ele chora todos os dias, porque tem o sonho de tornar-se útil ao homem e transformar-se num imenso jardim, onde se pudesse cultivar cereal, flores e carneiros.

“Quando olho suas areias, imagino as milhões de pessoas no mundo que foram criadas iguais, embora nem sempre o mundo seja justo com todos. As suas Montanhas me ajudam a meditar. Ao ver o sol nascendo no horizonte, minha alma se enche de alegria e me aproximo do Criador.”

O missionário deixou o homem e voltou para os seus afazeres diários. Qual Foi sua surpresa, na manhã seguinte, ao encontrá-lo no mesmo lugar e na mesma posição.

—  Você comentou com o deserto tudo que lhe disse? Perguntou.

O homem acenou afirmativamente com a cabeça.

—  E mesmo assim ele continua chorando?

—  Posso escutar cada um de seus soluços. Agora ele chora porque passou milhares de anos pensando que era completamente inútil e desperdiçou todo este tempo blasfemando contra Deus e seu destino.

—  Pois conte para ele que, apesar do ser humano ter uma vida muito mais curta, também passa muitos de seus dias pensando que é inútil. Raramente descobre a razão do seu destino, acha que Deus foi injusto com ele. Quando chega o momento em que, finalmente, algum acontecimento lhe mostra o por quê de ter nascido, acha que é muito tarde para mudar de vida e continu a sofrendo. E como o deserto, culpa-se pelo tempo que perdeu.

—  Não sei se o deserto ouviu, disse o homem. Ele já está acostumado com a dor e não consegue ver as coisas de outra maneira.

—  Então vamos fazer aquilo que eu sempre faço quando sinto que as pessoas perderam a esperança. Vamos rezar. Os dois ajoelharam-se e rezaram um virou-se em direção a Meca porque era muçulmano, o outro colocou as mãos juntas em prece, porque era cristão. Rezaram cada um para o seu Deus, que sempre foi o mesmo Deus, embora as pessoas insistissem em chamá-lo por nomes diferentes.

No dia seguinte, quando o missionário retomou a sua caminhada matinal, o homem não estava mais lá. No lugar onde costumava abraçar a areia, o solo parecia molhado, já que uma pequena fonte tinha nascido. Nos meses que se seguiram, esta fonte cresceu e os habitantes da cidade construíram um poço em torno dela.

Os beduínos chamam o lugar de “poço das lágrimas do deserto” . Dizem que todo aquele que beber de sua água irá transformar o motivo do seu sofrimento na razão da sua alegria e terminará encontrando seu verdadeiro destino.

Enraiza-te e floresce

Na primavera, uma jovem senhora semeou o seu jardim.
Duas sementes acabaram sendo enterradas uma ao lado da outra.
A primeira semente disse para segunda :
— Pensa como será divertido, vamos crescer nossas raízes fundo no solo e quando elas estiverem fortes, nós vamos brotar da terra e nos tornar lindas flores para todo mundo ver e admirar !
A segunda semente ouviu mas estava preocupada.
— Isso parece legal, ela disse, mas a terra não está muito fria? Eu estou com medo de estender minhas raízes nela. E se alguma coisa der errado e eu não me tornar muito bonita ? Então a senhora pode não gostar de mim, eu estou com medo.
A primeira semente, no entanto, não estava intimidada.
Ela empurrou suas raízes para baixo na terra e começou a crescer.
Quando suas raízes estavam fortes o suficiente, ela emergiu do solo como uma linda flor.
A senhora inclinou-se cuidadosamente para ela e orgulhosamente mostrou a flor perfumada para todos os seus amigos.
Mas enquanto isso a outra semente permanecia dormente.
— “Vamos lá”, a flor dizia todo o dia para a sua amiga, está quente e maravilhoso aqui em cima, no sol!
A segunda semente estava muito impressionada, mas permanecia amedrontada e com insegurança empurrou uma raiz no solo.
— “Ai”, ela disse. Essa terra ainda está ainda muito fria e dura pra mim. Eu não gosto dela. Eu prefiro ficar aqui na minha própria concha onde estou segura e confortável. Há muito tempo par se tornar uma flor.
Nada que a primeira semente dissesse mudava a mente da segunda.
Então, um dia quando a senhora estava fora um pássaro faminto voou no jardim, ele ciscava o solo procurando algo para comer.
A segunda semente que estava logo abaixo da superfície estava com muito medo de ser comida.
Mas aquele era seu dia de sorte.
Um gato pulou do peitoril da janela e espantou o pássaro.
A semente suspirou de alívio !
E neste momento tomou uma importante decisão :
— É uma tolice desperdiçar meu curto tempo aqui na terra, ela disse. Eu vou seguir as minhas esperanças e sonhos de mudança em vez de meus medos. Então, sem outro pensamento, a segunda semente começou a espalhar as suas raízes e também cresceu e se tornou uma linda flor.

A deusa e o mar

Conta uma lenda que em uma ilha longínqua vivia uma solitária deusa de sal. Ela era apaixonada pelo mar.
Passava dias, noites, horas na praia observando o balanço de suas ondas, sua beleza, seu mistério, sua magnitude. Um desejo enorme começou a apossar-se do seu coração: experimentar toda aquela beleza.
Esse desejo foi aumentando até que um dia a deusa resolveu entrar no mar. Logo que ela colocou os pés no mar, eles sumiram, derreteram-se. Encantada com ele, ela seguiu em frente e suas pernas e coxas desapareceram.
A deusa, entretanto, seguiu adiante, sentindo partes do seu corpo derretendo-se, até ficar apenas com o rosto do lado de fora.
Uma estrela que observava tudo falou:
— Linda deusa, você vai desaparecer por completo. Daqui a pouco você não mais Existirá.
A água do mar desfazia o rosto da deusa, mas ela respondeu fazendo um esforço:
— Continuarei existindo, porque agora eu sou o mar também.
Para conhecer e experimentar é preciso permitir-se, ir em frente.
Quando isto acontece, a mudança se dá, mudamos.
A deusa mudou transformando-se em mar, fazendo parte dele, passou a ser o mar que ela tanto admirava da praia.
O mar por sua vez, também se transformou, porque foi salgado pela deusa. Ambos experimentaram a mudança: a deusa e o mar.

Selo – Seu blog me faz viajar

 Obrigado pelo carinho de sempre meu amigo Jorge

Recebi este selo do amigo Jorge – Blog http://nectantaurus.blogspot.com/
Este selo tem como tarefa, relacionar 03 livros que te marcaram, e indicar 05 amigos para que seja repassado com carinho.
Como é sempre difícil nomear livros, dentre tantos lidos e relidos, o que vem à mente nesse momento:.
  1. Médico de Homens e de Almas – Taylor caldwell
  2. Nas Fronteiras da Loucura – Divaldo Franco
  3. Psiquiatria em face da reencarnação – Dr Inácio Ferreira

Minhas indicações são para os seguintes amigos:

1- Norma Villares – Blog “Ecos da Alma”
2- Julimar Murat – Blog “Por uma Vida Melhor
3- Leonor – Blog “Experimental”
4- Jeanne – Blog “Crescer dá Trabalho
5- Jacke- Blog “Atitudes Positivas

Um grande abraço a todos!

Horizonte comodista

João trabalhava em uma empresa há muitos anos. Funcionário sério, dedicado, cumpridor de suas obrigações e, por isso mesmo, já com seus 20 anos de casa.
Um belo dia, ele procura o dono da empresa para fazer uma reclamação:
— Patrão, tenho trabalhado durante estes 20 anos em sua empresa com toda a dedicação, só que me sinto um tanto injustiçado.
O Juca,que está conosco há somente três anos, está ganhando mais do que eu.
O patrão escutou atentamente e disse:
— João, foi muito bom você vir aqui.
Antes de tocarmos nesse assunto, tenho um problema para resolver e gostaria da sua ajuda.
Estou querendo dar frutas como sobremesa ao nosso pessoal após o almoço.
Aqui na esquina tem uma quitanda. Por favor, vá até lá e verifique se eles têm abacaxi.
João, meio sem jeito, saiu da sala e foi cumprir a missão.
Em cinco minutos estava de volta.
— E aí, João?
— Verifiquei como o senhor mandou. O moço tem abacaxi.
— E quanto custa?
— Isso eu não perguntei, não.
— Eles têm quantidade suficiente para atender a todos os funcionários?
— Também não perguntei isso, não.
— Há alguma outra fruta que possa substituir o abacaxi?
— Não sei, não…
— Muito bem, João. Sente-se ali naquela cadeira e me aguarde um pouco.
O patrão pegou o telefone e mandou chamar o Juca. Deu a ele a mesma orientação que dera a João:
— Juca, estou querendo dar frutas como sobremesa ao nosso pessoal após o almoço. Aqui na esquina tem uma quitanda.
Vá até lá e verifique se eles têm abacaxi, por favor.
Em oito minutos o Juca voltou.
— E então? – indagou o patrão.
— Eles têm abacaxi, sim, e em quantidade suficiente para todo o nosso pessoal; e se o senhor preferir, tem também laranja, banana e mamão. O abacaxi é vendido a R$1,50 cada; a banana e o mamão a R$1,00 o quilo; o melão R$ 1,20 a unidade e a laranja a R$ 20,00 o cento, já descascado. Mas como eu disse que a compra seria em grande quantidade, eles darão um desconto de 15%. Aí aproveitei e já deixei reservado. Conforme o senhor decidir, volto lá e confirmo – explicou Juca.
Agradecendo as informações,o patrão dispensou-o.
Voltou-se para o João, que permanecia sentado ao lado, e perguntou-lhe:
— João, o que foi mesmo que você estava me dizendo?
— Nada sério, não, patrão. Esqueça. Com licença.
E o João deixou a sala…
Tem muita gente assim — Acomodada, que não faz absolutamente nada além do que foi estritamente pedido ou solicitado. São pessoas que acham “que já fazem demais” e sentem-se os eternos injustiçados.
Não se restrinja, não se limite, amplie seus horizontes. Não viva reclamando. Só assim você vai se destacar e ter sucesso na sua vida profissional e pessoal.

Vida que se viva

As emoções canalizadas em relação ao passado ou ao futuro dissipam energia aleatoriamente, impedindo seu livre fluxo no presente.
Antecipar ocorrências representa precipitação de fatos que, talvez, não sucederão, conforme agora tomam curso, gerando ansiedade e angústia.
Viver, apenas, de recordações passadas ou ansiando pelo futuro é perder a contribuição do presente, praticamente nada reservando para hoje.
O momento atual é a vida, que resulta das atividades aprendidas e vivenciadas, tornando possível e elaborando as surpresas do porvir.
Encoraja-te a viver hoje, sentindo cada instante e valorizando-o mediante a consciência das bênçãos que se encontram à tua disposição.

Paisagens representativas

Em todo o momento de atividade mental acontece em nós um duplo fenômeno de percepção: ao mesmo tempo em que temos consciência de um estado de alma, temos diante de nós, impressionando-nos os sentidos que estão voltados ao exterior, uma paisagem qualquer. Entendendo-se por paisagem, para conveniência de frases, tudo o que forma o mundo exterior num determinado momento da nossa percepção, ou seja, tudo que está fora de si próprio. 
Todo estado de alma é uma passagem.
Isto é, todo o estado de alma é não só representável por uma paisagem, mas verdadeiramente uma paisagem. 
Há em nós um espaço interior onde a matéria da nossa vida física se agita.

Um carinho

Selo recebido da querida amiga Jacke

1 – Seguir as regras.
2 – Levar o selo acima para identificar quem está, esteve ou estará na brincadeira.
3 – Completar as seguintes frases:


a) Eu já… sei que a vida é maravilhosa
b) Eu nunca… desisti de meus sonhos
c) Eu sei…que a vida é feita de aprendizagens
d) Eu quero… evoluir espiritualmente.
e) Eu sonho… ver a humanidade sem guerras


4 – Depois, indique 5 blogueiros para dar sequência à brincadeira.

Repasso para:

1-http://nectantaurus.blogspot.com/ Jorge
2-http://debyfrancis.blogspot.com/ Deby
3-http://gastandootempo.blogspot.com/ Beatriz
4-http://divinaimagem.blogspot.com/
5-http://angel-acasos.blogspot.com/

A troca afetuosa entre amigos

Recebi esta afetuoso selo com carinho de meu amigo Jorge
Obrigado meu amigo de luz!!
 
Seguindo as regras, funciona assim:
– Escolhemos dez amigos para declarar a nossa amizade e os nomeamos num post.
– Em seguida visitamos seus blogs e comunicamos a nomeação.
– Cada um deverá nomear mais dez, e assim sucessivamente.
– Não há prêmios, apenas nossa declaração sincera de afeto.

 Meus amigos
A amizade é sempre de coração para coração. 
A amizade, acima de tudo, significa respeito e flexibilidade.
Sinto-me honrado em compartilhar aprendizagens com vocês e com novos amigos que surgem.
Obrigado por essa troca maravilhosa, onde aprendo a compreender que a vida, por ser uma dádiva de Deus, é para ser vivenciada na sua plenitude de Amor.
Muito obrigado, meus amigos, por vocês estarem perto sempre!
Viva os Sentimentos e as Emoções
Stuka

Dedico aos meus amigos:

1-http://osmeuslamentos.blogspot.com/ Graciete
2-http://experimental-leonor.blogspot.com/ Leonor
3-http://paravivermelhoremaisfeliz.blogspot.com/ Jacke
4-http://normavillares.blogspot.com/ Norma
5-http://julimarmurat.blogspot.com/ Julimar
6-http://gimbras.nofuturo.com/ Gimbras
7-http://wisheslife.blogspot.com/ Adélia
8-http://lelliramz.blogspot.com/ Lelli
9-http://entremeios-angela.blogspot.com/ Ângela
10-http://adrianaviaro.blogspot.com/ Dri

 Um grande e afetuoso abraço