Seus valores

Um avarento tinha enterrado seu pote de ouro num lugar secreto do seu jardim. E todos os dias, antes de ir dormir, ele ia até o ponto, desenterrava o pote e contava cada moeda de ouro para ver se estava tudo lá. Ele fez tantas viagens ao local que um ladrão, que já o observava há bastante tempo, curioso para saber o que o avarento estava escondendo, veio uma noite, e sorrateiramente desenterrou o tesouro levando-o consigo.
Quando o Avarento descobriu sua grande perda, foi tomado de aflição e desespero. Ele gemia e chorava enquanto puxava seus cabelos.
Alguém que passava pelo local, ao escutar seus lamentos, quis saber o que acontecera.
“Meu ouro! Todo meu ouro!” chorava inconsolável o avarento, “alguém o roubou de mim!”
“Seu ouro! Ele estava nesse buraco? Por que você o colocou aí? Por que não o deixou num lugar seguro, como dentro de casa, onde poderia mais facilmente pegá-lo quando precisasse comprar alguma coisa?”
“Comprar!” exclamou furioso o avarento. “Você não sabe o que diz! Ora, eu jamais usaria aquele ouro. Nunca pensei de gastar dele uma peça sequer!”
Então, o estranho pegou uma grande pedra e jogou dentro do buraco vazio.
“Se é esse o caso,” ele disse, “enterre então essa pedra. Ela terá o mesmo valor que tinha para você o tesouro que perdeu!”
Esopo

Acredite! Nem sempre é o que parece.

Conta a estória que dois Anjos viajantes pararam para passar a noite na casa de uma família muito rica. A família era rude e não permitiu que os Anjos ficassem no quarto de hóspedes da mansão. Em vez disso, deram aos Anjos um espaço pequeno no frio sótão da casa.
À medida que eles faziam a cama no duro piso, o Anjo mais velho viu um buraco na parede e o tapou.
Quando o Anjo mais jovem perguntou: por que? O Anjo mais velho respondeu:
-“As coisas nem sempre são o que parecem”.
Na noite seguinte, os dois anjos foram descansar em outra casa, de um casal muito pobre, mas o senhor e sua esposa eram muito hospitaleiros. Depois de compartilhar a pouca comida que a família pobre tinha, o casal permitiu que os Anjos dormissem na sua cama onde eles poderiam ter uma boa noite de descanso.
Quando amanheceu, ao dia seguinte, os anjos encontraram o casal banhado em lágrimas. A única vaca que eles tinham, cujo leite havia sido a única entrada de dinheiro, jazia morta no campo.
O Anjo mais jovem estava furioso e perguntou ao mais velho:
-“como você permitiu que isto acontecesse? O primeiro homem tinha de tudo e, no entanto, você o ajudou”; o Anjo mais jovem o acusava.
-“A segunda família tinha pouco, mas estava disposta a Compartilhar tudo, e você permitiu que a vaca morresse”.
-“As coisas nem sempre são o que parecem,” respondeu o anjo mais velho.
-“Quando estávamos no sótão daquela imensa mansão, notei que havia ouro naquele buraco da parede. Como o proprietário estava obcecado com a avareza e não estava disposto a compartilhar sua boa sorte, fechei o buraco de maneira que ele nunca mais o encontraria. Depois, ontem à noite, quando dormíamos na casa da família pobre, o anjo da morte veio em busca da mulher do agricultor. E Eu lhe dei a vaca em seu lugar.”
As coisas nem sempre são como parecem.
Algumas vezes, isso é exatamente o que acontece quando as coisas não saem da maneira como esperamos. Mas, se você tiver fé, basta confiar.

O Bicho Homem

Você conhece a Ilha das Flores?
Se ainda não teve o prazer, assista a esse vídeo curtinho. São apenas 12 minutinhos de sua saudável vida. Tenha paciência e assista até o fim. Vale a pena refletir a respeito, mesmo que seja chocante e possa expôr nossa pequenez.

Ilha das Flores é um filme de curta-metragem brasileiro, do gênero documentário, escrito e dirigido pelo cineasta Jorge Furtado em 1989, com produção da Casa de Cinema de Porto Alegre.

O filme inicia situando o expectador, para que não haja dúvida da veracidade do que virá a seguir. Utilizando se de termos científicos, a realidade vai sendo desnudada. Através de uma narrativa que segue uma cadência e vai demonstrando a angústia descritiva dos fatos, podemos chegar ao momento crucial e agonizante.

Prêmios do documentário:
Melhor filme de curta-metragem (e mais 8 prêmios) no 17° Festival de Gramado, 1989.
Urso de Prata para curta-metragem no 40° Festival de Berlim, 1990.
Prêmio Air France como melhor curta brasileiro do ano, 1990.
Prêmio Margarida de Prata (CNBB), como melhor curta brasileiro do ano, 1990.
Prêmio Especial do Júri e Melhor Filme do Júri Popular no 3° Festival de Clermont-Ferrand, França, 1991.
“Blue Ribbon Award” no American Film and Video Festival, New York, 1991.
Melhor Filme no 7º No-Budget Kurzfilmfestival, Hamburgo, Alemanha, 1991
Em nossa sociedade, quem são os porcos, quem anda comendo os restos?

Quem são os excluídos?
Você é capaz de enxergá-los?
 
“Vi ontem um bicho
Na imundice do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão,
Não era um gato.
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem”.
Manoel Bandeira
…….até quando? Responde?

Depende de sua janela !


Um casal, recém-casado, mudou-se para um bairro muito tranqüilo.

Na primeira manhã dentro de sua nova casa, enquanto tomavam café, a mulher reparou atráves da janela, uma vizinha que pendurava lençóis no varal e comentou com o marido:
Que lençóis sujos ela está pendurando no varal!
Está precisando de um sabão novo. Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!
O marido observou calado.
Alguns dias depois, novamente durante o café da manhã, a vizinha pendurava lençóis no varal e a mulher, dona de si, comentou com o marido:
Nossa vizinha continua pendurando os lençóis sujos! Que porca, não sabe cuidar de suas coisas. Acho que terei que ensiná-la a lavar as roupas!
E assim, todo dia, infalivelmente, a mulher repetia seu discurso praguejante, gabando-se como a dona da verdade, enquanto a vizinha pendurava suas roupas no varal.
Passado um tempo a mulher se surpreendeu ao ver os lençóis muito brancos sendo estendidos, e empolgada foi dizer ao marido:
Veja, ela aprendeu a lavar as roupas. Será que outra vizinha ensinou??? Porque eu não fiz nada, só fiquei aqui olhando e maldizendo sua incapacidade.
O marido calmamente respondeu:
Não, hoje eu levantei mais cedo e lavei os vidros da nossa janela!
E assim é.
Tudo depende da janela através da qual observamos os fatos.
psiquismodesmistificado

Já fez o que podia? A vida não pára!

Será que você já fez tudo que podia?
Quanto evoluiu como ser?
Saia da prostração e tenha atitudes.
Olhe dentro de si e repense seus caminhos.
Olhe ao seu redor e faça algo, pois alguém, com certeza, precisa de você.
A vida te permite. Faça pelo próximo. Estenda suas mãos e diga uma palavra.
Quer tornar o mundo melhor?
Seja mais alma, seja mais emoção.
Permita-se
Luz, Paz e Amor

Quanto tempo?

Hoje, 05 de Junho, é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente. 
A data foi instituída pela Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) em 1972, época em que os problemas ambientais não tinham o impacto que têm hoje. 

Com esse desastre ambiental que acomete a região do Golfo do México, exterminando toda a fauna e flora local, acabando com o ecossistema da região através da maré negra, deve ser feito o seguinte questionamento:
Quanto tempo ainda vai levar para o ser humano acabar com todo o planeta?

Ilimitável

 

Qual o seu limite para sonhar e realizar objetivos em sua vida?
…..NENHUM
O limite é você quem impõe. Você é a única pessoa que pode colocar restrições nos seus desejos. Veja que as grandes realizações aconteceram quando alguém resolveu vencer o “impossível”.
Colombo determinava-se a seguir viagens navegando, mesmo ouvindo  histórias que o mar acabava no horizonte e estava cheio de monstros terríveis.
Santos Dumont foi taxado de louco tantas vezes, até fazer subir seu 14 Bis.
Ford foi ignorado por banqueiros e poderosos que não acreditavam em carros em série.
Einstein foi ridicularizado, assim como outros pensadores.
Desistir de nossos projetos, ou aceitar palpites infelizes em nossas vidas é mais fácil do que lutar por eles.
Renunciar, chorar, aceitar a derrota é mais simples pelo simples fato de que não nos obriga ao trabalho.
E ser feliz dá trabalho? Ser feliz é questão de persistência, de lutas diárias, de encantos e desencantos. Quantas pessoas passaram pela sua vida e te magoaram ?? Quantos passarão pela sua vida só para roubar tua energia ?? Quantos estarão realmente preocupados com você??
A questão é como você lida ou vai encarar essas situações. Como ficarão seus projetos? Eles resistirão às amarguras e desacertos do dia a dia?
O objetivo você já tem: SER FELIZ!!! Como alcançar você já sabe: LUTANDO!!!
Resta saber o quanto feliz você realmente quer ser. E, principalmente, qual o limite que você colocou em seus sonhos.
Lembre-se: não há limites para sonhar… Não se limite, vá à luta! O impossível é apenas algo que alguém ainda não realizou!

Selo “Homens Fabulosos”

Este selo foi criado por Julio César, do blog Vendo & Sentindo, e tem uma única regra:
Regra única:
Deve citar o blog que deu o prêmio e os Homens Fabulosos dos blogs ‘premiados’
Recebi este maravilhoso selo da querida amiga Jeanne, do blogJardins de uma Alma Eterna “, 
 e de meu querido amigo Jorge, do blog Nectan Reflexões

Sou muito grato pelas suas lembranças e pelo carinho, Jeanne e Jorge!!!


Indico, assim, aos amigos de coração:
http://www.ponderantes.com.br/-Valdeir
http://falandocomquemquiserouvir.blogspot.com/-Fernando
http://drauziomilagres.blogspot.com/-Drauzio
http://ronieljulio.blogspot.com/-Roniel